Follow by Email

sábado, 2 de fevereiro de 2013


O abuso sexual infantil é um problema de saúde pública, devido à elevada incidência epidemiológica e aos
sérios prejuízos para o desenvolvimento das vítimas. A dinâmica desta forma de violência é complexa, envolvendo aspectos
psicológicos, sociais e legais. Este estudo apresenta o mapeamento de fatores de risco para abuso sexual intrafamiliar identificados
nos processos jurídicos do Ministério Público do Rio Grande do Sul – Brasil por violência sexual, no período entre 1992 e
1998. A análise de 71 expedientes apresenta o perfil das vítimas e a caracterização da violência sexual, dos agressores e das
famílias. Os resultados apontaram que o desemprego, famílias reconstituídas, abuso de álcool e drogas, dificuldades econômicas
e presença de outras formas de violência constituíram os principais fatores de risco associados ao abuso sexual. Tais resultados
podem subsidiar ações preventivas e terapêuticas para situações de violência sexual contra crianças e adolescentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário